CONSTRUÇÃO DE COMUNIDADE

Temos construído e mantido uma comunidade de confiança durante quase 40 anos, como base para o desenvolvimento de uma sociedade futura. Num organismo comunitário saudável, os seus membros entreajudam-se, com o apoio de ciclos de feedback, desenvolvendo-se um sentido de identidade comunitária – um nível de ordem mais elevado, no qual o indivíduo integra um todo maior. Toda a vida coabita em comunidade, e ao restaurá-la para a humanidade, criamos espaços sociais que apoiam o ser humano a ultrapassar o trauma colectivo de separação, e a recondicionar-se do medo para a confiança.

“Comunidade não é apenas um sonho sentimental de jovens, mas constitui a próxima etapa da evolução humana. No futuro, as pessoas viverão em comunidade.”

DIETER DUHM

O Que Aprendemos

  • Toda a vida coexiste em comunidade. A nossa comunidade original não é a família, mas a tribo. A comunidade é o veículo social que abarca todos os aspectos da vida humana, incluindo a família.
  • A comunidade é o terreno fértil natural para o desenvolvimento de confiança e para uma convivência ética de verdade e apoio mútuo, participação responsável, respeito e cuidado para com a Terra e todos os seres.
  • Ao remover o ser humano da comunidade, ele torna-se desconfiado, violento e doente. No decorrer do patriarcado, as comunidades foram destruídas violentamente em todo o mundo, por governadores imperialistas. É necessário restaurar comunidade, de forma a curar o nosso trauma histórico colectivo e trazer de volta a paz às nossas vidas.
  • Individualidade e comunidade complementam-se, não se contradizem. A verdadeira individualidade é um empreendimento comunitário que se desenvolve a partir da diversidade, interacção e feedback que é possível dentro da comunidade. Uma comunidade genuína não é colectivista ou conformista, mas consiste em pessoas que dizem o que realmente pensam e sentem.
  • Para ser sustentável, uma comunidade não deve estar dependente de líderes carismáticos, mas deve, sim, desenvolver uma autêntica democracia de base. É verdade que, frequentemente, são necessários líderes fortes de forma a iniciar os processos de construção de uma comunidade, mas as comunidades evoluem através de membros que se tornam capazes de colaborar, estando cientes daquilo que realmente os motiva. Para tomar decisões democraticamente, os participantes têm que se empenhar num trabalho de carácter e partilhar um forte objectivo comum.
  • A construção de uma comunidade é uma aventura constante – um processo de recondicionamento do medo para a confiança. A confiança tem que ser conscientemente desenvolvida. Os que participam na construção de uma comunidade têm que estar prontos para se mostrarem e para enfrentarem a verdade dos outros, especialmente no amor e na sexualidade. Quanto mais pessoas se reconhecem mutuamente naquilo que realmente as motiva, mais confiança desenvolvem entre si. Ver é amar.
  • Uma comunidade precisa de um objectivo comum que seja maior que os interesses e necessidades pessoais dos seus participantes. Como diz o I Ching, “Não são os interesses privados que criam a camaradagem duradoura entre os homens, mas os objectivos da humanidade.”

Aprender Mais Sobre a Construção de Uma Comunidade

Leia abaixo os nossos textos de estudo e inscreva-se numa das nossas Semanas de Introdução, para estabelecer um primeiro contacto.

Para criadores de comunidades ou para os interessados em estabelecer Biótopos de Cura – consultem o nosso Programa para Estudantes de Biótopos de Cura.

www.tamera.org