COZINHA SOLAR

No coração do Campo de Testes Solares está uma cozinha que serve 50 pessoas, usando tecnologias solares, incluindo um espelho Scheffler, um sistema de biogás, caixas de confecção solar, aquecedores de água solares e um túnel secador solar para a preservação de alimentos. O uso desta tecnologia no dia-a-dia é uma parte essencial da nossa pesquisa. Podemos, desta forma, assegurar-nos que elas estão adaptadas às nossas necessidades, fazendo um estudo crítico sobre o seu contínuo desenvolvimento. Este modelo funcional insere-se na pesquisa e desenvolvimento de povoamentos regenerativos e no projecto Blueprint 200.

“A cada momento, o sol irradia sobre a Terra 15.000 vezes mais energia do que aquela que a espécie humana necessita. Na nossa cozinha solar, vivenciamos esta realidade de abundância energética, pois decidimos aceitar esta dádiva que recebemos constantemente.”

JANOS VALDER, Tecnologista no Campo de Testes Solares

Visão

A cozinha é onde reunimos os ciclos, para que as pessoas estejam integradas num ciclo saudável de alimentos, água e energia. Os alimentos provêm das hortas, cozinhamos com sol e biogás, e utilizamos água dos poços. Não existe “desperdício de comida”, pois utilizamos um digestor de biogás para criar metano para cozinhar e o resto é usado como fertilizante na terra. O que comemos vai para as casas-de-banho secas, para mais uma vez ser usado na terra. O nosso elemento humano está a ajudar a gerar um ciclo de abundância. A cozinha é o coração e alma daqueles que vivem no Campo de Testes Solares. Para além de servir nutritivas refeições veganas, com alimentos cultivados num contexto de permacultura urbano em torno do Campo de Testes e no nosso Vale do Sul, a Praça da Aldeia é um local para o encontro da comunidade. Um ponto essencial da nossa pesquisa é saber como os seres humanos podem coexistir em comunidade. E isto aplica-se à forma como consumimos energia. Todos os que vivem no Campo de Testes Solares aprendem a usar estas novas energias renováveis de uma forma mais ponderada. Trata-se de uma relação simbiótica contínua onde aprendemos a partir da nossa utilização e adaptação ao desenvolvimento das tecnologias solares. Os resultados da nossa pesquisa na cozinha solar contribuem para o desenvolvimento de um sistema completo, que aplicamos no projecto Blueprint200. Na cooperação com a BluePrint Alliance, estamos a desenvolver princípios para o design de povoamentos regenerativos.

Contribua para a autonomia energética comunitária!
Apoie-nos a demonstrar um sistema para aldeias sem emissões de carbono, em regiões ricas em exposição solar.

Ver a Cozinha Solar em Acção (Inglês)

Resultados

  • O Espelho Scheffler é usado para cozinhar. Este é um reflector solar de foco-fixo, onde a forma e o sistema de monitorização do espelho são desenhados para concentrar luz do sol num colector estático exterior à abertura do espelho. A potência de saída de um reflector com uma superfície de 10m2 flutua, dependendo da estação do ano, entre os 2.2kW durante o Verão e os 3.3kW durante o Inverno, assumindo uma radiação solar de 700W/m2. O sistema de foco-fixo do espelho, descrito acima, permite também cozinhar com sol a temperaturas muito mais altas.
    Ler mais…
  • O Túnel de Secagem Solar é usado para o processamento dos excedentes da época. Metade do chão do túnel de secagem está pintado de preto e absorve o calor do sol. Um ventoinha alimentada a energia solar sopra ar quente que levanta a membrana preta, desidratando, assim, a comida.
  • Digestor de Biogás – usando os desenhos de T.H. Culhane, biogás significa que é possível cozinhar quando não há sol – em dias enevoados e durante a noite. A tecnologia fermenta desperdícios de alimentos misturados com água tépida para produzir metano para cozinhar. O nosso digestor principal consegue processar 90L de mistura de biogás todos os dias, o que proporciona 10–12 horas com uma chama baixa ou 5–6 horas com uma chama elevada.
  • Descarregue o manual de construção de digestor de biogás de 3m3 (sistema de tambor flutuante) em Inglês e Português.
  • Caixas de confecção solares – reflectores em forma de parabólica são usados para direccionar a luz do sol para uma pequena área, a fim de criar calor para cozinhar. Por serem pequenos, são fantásticos para o uso familiar. Por exemplo, pode ser adicionada água ao arroz de manhã, estando pronto à hora do almoço, e pode até confeccionar-se um bolo a 150ºC.
  • Aquecedores de Água Solares – colectores de painéis planos e colectores de tubo evacuado

www.tamera.org