ÁGUA, SANEAMENTO E HIGIENE

Dada a acentuada sobreposição entre estas áreas, trabalhamos simultaneamente nas questões da água, saneamento e higiene. Abordando as deficiências de cada uma destas áreas, de forma holística, podemos produzir um forte impacto positivo. Ao criar a Paisagem de Retenção de Água, fazemos com que o nosso abastecimento de água se torne regenerativo. Desta forma conseguimos água para irrigação, serviços e consumo, tudo sem necessidade de estar ligados à rede de água pública. Utilizando casas de banho secas, consumimos uma quantidade de água bastante inferior a qualquer outro povoamento convencional, e evitamos a produção de águas negras. As águas cinzentas, provenientes das cozinhas, chuveiros e lavandaria, são limpas naturalmente por plantas em pântanos construídos por nós.

Abastecimento de Água

A autonomia descentralizada no abastecimento de água é um efeito colateral natural da restauração dos ecossistemas. A natureza fornece-nos abundantemente tudo o que precisamos, assim que curamos os estragos que lhe impusemos.

Ao aplicar diferentes medidas de retenção de águas pluviais no nosso terreno, conseguimos reduzir o escoamento de águas pluviais. Assim que a água das chuvas se começou a infiltrar no solo, a nossa situação hídrica estabilizou. Os aquíferos recarregam-se durante a época das chuvas, garantindo uma quantidade de água suficiente mesmo durante a época seca do Verão. Já não é necessário extrair água de furos profundos, como fazíamos nos primeiros anos. Os espaços de retenção de maiores dimensões, proporcionam água para irrigação. As águas de serviço e a água canalizada são extraídas de um poço raso, próximo dos espaços de retenção. A água fresca para consumo humano, provém de uma nascente.

No futuro, pretende-se criar um sistema de tubagem circular que sirva como um novo modelo para o abastecimento de aldeias e comunidades – assegurando que a água está em movimento permanente e em harmonia com os seus padrões naturais de movimento, em vez de ser deslocada à pressão.

Com a Paisagem de Retenção de Água, conseguimos agora atenuar os impactos das secas e das chuvas torrenciais.

Estamos também mais focados no desenvolvimento de Paisagens de Retenção de Água ao nível regional, de forma a que no longo prazo, a autonomia hídrica das comunidades vizinhas possa estar assegurada.

Gestão de Águas Residuais

Ao utilizarmos casas de banho secas de compostagem, investigámos e desenvolvemos com sucesso diferentes modelos de casas de banho de compostagem. Na última geração de dispositivos livres de odor, as bactérias e as minhocas transformam fezes em solo fértil, evitando assim a produção de águas negras.

As águas cinzentas são tratadas em diversos pântanos que construímos e em três câmaras de esgoto, com plantas que fazem o tratamento da água e que estão anexadas às cozinhas e casas de banho comunitárias. Os pântanos artificiais são biótopos vivos habitados por espécies específicas de plantas que separam e fazem a compostagem dos poluentes e que, no final, recarregam os nossos aquíferos com água limpa.

Além disso, estamos em cooperação com Jay Abrahams, um microbiologista Britânico e designer de permacultura. O seu Tratamento de Ecossistemas Pantanosos, ou sistema WET, inclui um desenho especial de construção de aterros e reservatórios, usando um mínimo de materiais artificiais ou não locais. Este será um elemento do emergente Modelo para Povoamentos Regenerativos.

Nas palavras de Jay, “Resíduos e esterco não precisam de ser poluentes estranhos – eles têm potencial para se tornarem recursos fantásticos. Os desperdícios dos resíduos podem ser vistos como um problema ou como um recurso valioso. O primeiro ponto de vista é o actual. Já a última perspectiva leva ao desenho de um sistema que considere os resíduos como um recurso não aproveitado e os converta em produtos úteis, valiosos ou, pelo menos, não poluentes.”

Em Imagens

 

www.tamera.org