Instituto de Ecologia Global

O nosso instituto de ecologia, coordenado por Bernd W. Mueller, tece uma rede de cooperação entre parceiros de investigação centrados em torno do Novo Paradigma da Água, tendo em vista a restauração dos ciclos naturais da água e do clima. O instituto orienta o trabalho de ecologia em Tamera e oferece educação e consultoria a projectos na nossa região e no mundo inteiro. Para enfrentar as catástrofes ecológicas a que assistimos mundialmente, focamos-nos em soluções de modelos descentralizados tal como o Plano Global de Acção. Somos também aliados da Blueprint Alliance.

Trabalho Ecológico em Tamera

Um dos nossos mentores é Viktor Schauberger (1885-1958) e a sua pesquisa pioneira sobre o movimento da água. Estudamos as suas descobertas, tentando aplicá-las no nosso trabalho ecológico, tanto quanto já nos é possível.

Desde o momento em que Sepp Holzer nos inspirou com a visão das Paisagem de Retenção de Água, temos feito medições da quantidade de águas pluviais que captamos no terreno de Tamera. Tendo por base a gestão natural e descentralizada da água, tornámos-nos regenerativos no nosso consumo de água e trabalhamos para a autonomia alimentar, usando os princípios da permacultura e técnicas agroecológicas.

Ao concentrarmo-nos na mudança de paradigma, da exploração da natureza para a cooperação com ela, trabalhamos em estreita ligação com a Terra Deva, o nosso departamento de ecologia espiritual.

Oferecemos também apoio ao artista suíço Felix Hediger, no desenvolvimento de um novo tipo de bomba de água que funciona segundo os princípios de Schauberger, i.e. em harmonia com os padrões do movimento da água.

Neste vídeo de 3 minutos (inglês) produzido pela Re/Culture Media em 2017, Bernd Mueller fala sobre a consciência da água – e como a cura da água se relaciona com a cura das relações humanas.

Rede Global

Entre 2011 e 2016, acolhemos anualmente em Tamera o Simpósio Internacional da Água, reunindo especialistas, decisores, jornalistas e activistas em torno de alternativas regenerativas relacionadas com a gestão da água, e estudando como estas podem restaurar o clima e dar resposta às catástrofes globais relacionadas com água, alimentos e fogos. Leia alguns dos relatórios:

Com estes simpósios, desenvolvemos um círculo de pesquisa e parceiros de cooperação, que incluem:

Michal Kravčík

Michal Kravčík, engenheiro hídrico eslovaco, coordenou uma campanha a nível nacional para a restauração dos ecossistemas na Eslováquia, implementando dezenas de milhares de iniciativas de captação de águas pluviais descentralizadas. Escreveu diversos livros e é co-autor do Novo Paradigma da Água e do Plano de Acção Global (Inglês).

Rajendra Singh

Rajendra Singh, o homem da água” indiano, que restaurou 6,500 km2 de deserto no Rajastão, ao mobilizar os habitantes locais para aplicarem medidas de retenção de águas pluviais, permitindo assim que 100,000 pessoas ganhassem auto-suficiência regenerativa no acesso a água e a alimento.


Saad Dagher

Saad Dagher, líder agroecológico palestiniano, professor de permacultura e activista de paz, trabalha na Cisjordânia com a eco-aldeia de Farkha, entre muitos outros projectos.

 


John D. Liu

John D. Liu, o realizador sino-americano, investigador de restauração de ecossistemas e educador, fundador e director do Environmental Education Media Project (EEMP), conhecido pelo seu filme documental, “Hope in a Changing Climate” [“Esperança num Clima em Mudança”].

Professor Millán M. Millán

Professor Millán M. Millán, meteorologista espanhol e director executivo da Fundación CEAM, responsável pela pesquisa pioneira que revelou como as alterações na gestão local da água afectam os padrões climáticos globais.

 

Em 2015, Michael Kravčík e Jan Lambert publicaram o Plano de Acção Global para a Restauração dos Ciclos Naturais da Água e do Clima (Inglês) e apresentaram-no na Cimeira do Clima das Nações Unidas em Paris, demonstrando como podemos reverter globalmente as alterações climáticas e os seus efeitos catastróficos, se fomentarmos medidas para a retenção de águas pluviais ao nível local. Colaboramos com Michal Kravčík, a Global Ecovillage Network  e outros na promoção deste plano.

Nesse sentido, temos trabalhado na nossa região – com o objectivo de construir uma comunidade em torno da bacia hidrográfica em que estamos inseridos, tomando responsabilidade pelas nossas reservas de água comuns. Inspirados por Rajendra Singh, acompanhámos a caminhada Walking Water na Califórnia em 2015-17, e organizámos uma primeira caminhada pela água ao longo da nossa bacia hidrográfica, no Outono de 2016. Seguimos o curso da água desde a nossa nascente em Tamera até ao estuário do rio Sado em Setúbal, estabelecendo uma estreita relação entre natureza, pessoas e animais, aprendendo assim sobre as suas necessidades e promovendo o Plano de Acção Global na nossa região.

Educação

Nos últimos anos, oferecemos formação para um conhecimento mais profundo do Novo Paradigma da Água, em vários formatos – através de seminários, cursos de Design Paisagístico para a Retenção de Água, e locais de construção educativos.

Consultoria

A pedido, oferecemos consultoria sobre recuperação de ecossistemas aos parceiros da nossa rede global. Bernd Mueller tem trabalhado em Portugal, Espanha, Colômbia, Bolívia, E.U.A., Israel, Palestina, Haiti, Quénia, entre outros.

Haiti

Quando oferecemos aconselhamento à organização Britânica, CAFOD, no Haiti, em 2013, o nosso objectivo era identificar formas de melhorar sustentavelmente o aprovisionamento de água e saneamento para populações em zonas de crise e pobreza extrema. Visitámos um local de reconstrução de um povoamento estabelecido depois do terremoto de 2010, e produzimos um relatório que demonstrava concretamente como este povoamento poderia ser desenhado de acordo com princípios regenerativos.

Face à urgência de uma mudança sistémica na nossa abordagem ao trabalho de ajuda humanitária, a visita deu-nos a inspiração inicial para criar o Plano Blueprint para Povoamentos Regenerativos.

Quénia

Mais tarde, em 2013,  revimos o plano de gestão da bacia hidrográfica de Muvitha Kathemboni. A questão central era: como podem as pessoas no campo re-aprender a cooperar com a natureza, após terem perdido a sua relação com ela? Elaborámos um relatório que incluía:

  • gestão sustentável da água como base para o planeamento rural e urbano
  • uma proposta a longo prazo para envolvimento, modelos e gestão regenerativa de água
  • programas educativos para infraestruturas e para o uso da terra, que sejam sustentáveis e baseadas na comunidade.

Continuamos a colaborar com CAFOD em estratégias que oferecem uma genuína assistência sustentável em áreas de crise, através e em torno do “Blueprint”.

Reconhecimento Internacional

Contacto

Entre em contacto connosco: global.ecology [at] tamera.org

Aprofundar

Invisible
As Nossas Publicações
Consultorias

www.tamera.org