OTEPIC, QUÉNIA

Desde 2011, temos trabalhado com o OTEPIC, um centro de comunidade e permacultura em Kitale, Quénia. Como resposta à miséria e fome extremas na região, o fundador e coordenador Philip Munyasia trabalha para a “verdadeira revolução alimentar”. A comunidade tem por objectivo atingir uma autonomia alimentar descentralizada e o empoderamento das mulheres, jovens e crianças, trabalhando com os princípios da permacultura. Guiados por uma visão forte, nada parece ser impossível ao projecto, e o que realizaram até agora é assinalável.

O Fundador do OTEPIC, Philip Munyasia

O fundador do OTEPIC, Philip Munyasia, cresceu num contexto de pobreza extrema, como o mais novo de 8 irmãos, nunca sabendo quando teria a próxima refeição. Desde muito novo, transportou uma visão forte no seu coração. Assistindo à forma como a fome e a doença conduziam à morte de tantas pessoas à sua volta, ele soube que o seu propósito na vida era ajudar a transformar vidas nas aldeias e favelas empobrecidas da sua cidade de Kitale, no norte do Quénia. Philip viu como a paisagem ao seu redor se poderia transformar numa região verdejante com abundância em água e alimento, onde ninguém teria de passar fome novamente. Fruto desta visão, Philip tomou um caminho improvável na sua vida, experienciando o que descreve como “milagres”. Ele foi capaz de frequentar o ensino secundário, estudando mais tarde num centro de permacultura na Califórnia e, finalmente, vindo até Tamera. Os seus amigos e família acharam-no louco por escolher não ficar nos Estados Unidos e, em vez disso, voltar ao Quénia. Philip diz:

“A razão pela qual voltei ao Quénia foi por acreditar que todas as coincidências que me ajudaram a fazer esta viagem foram guias. Existia uma razão para isso. Tive a oportunidade de aprender, e tinha de voltar para transmitir o conhecimento que recebi. Este conhecimento é muito necessário no sítio de onde venho. Pode fazer uma grande diferença. Pode ajudar os jovens a usar a sua força para transformar a situação actual e ajudar eficazmente, para o bem-estar das pessoas.”

A criação do Centro de Extensão de Tecnologia Orgânica e Promoção da Iniciativa (OTEPIC)

Inspirado pelas técnicas de permacultura que aprendeu nos Estados Unidos, Philip começou o “Centro de Extensão de Tecnologia Orgânica e  Promoção da Iniciativa” com uma pequena equipa principal em 2008. Eles trabalharam com comunidades locais dentro e à volta de Kitale, ensinando milhares de agricultores de minifúndios a cultivarem culturas mistas, produzindo de forma sustentável, regenerando os solos e abastecendo-se com a sua própria comida. OTEPIC gere duas hortas de demonstração nos bairros mais pobres de Kitale – a horta dos aprendizes em Mitume e o Jardim Amani em Bidii – para ensinar aos locais abordagens baseadas na auto-suficiência comunitária. Depois do estudo, a equipa visita os seus estudantes e oferece orientação sobre como aplicar as técnicas aprendidas nos workshops. O trabalho do OTEPIC melhorou a vida de milhares de pessoas e a região como um todo. Desde 2008, deram formação a mais de 2000 agricultores locais, mulheres e jovens, não apenas em agricultura, mas também em tecnologias de energias renováveis, educação para a paz e desenvolvimento comunitário. Estes são os princípios por eles promovidos:

Juntem-se em comunidades
Cultivem abundantemente em culturas mistas – sem químicos
Reciclem o vosso desperdício orgânico e façam compostagem
Aprendam a tratar a água como um ser vivo
Sejam amigáveis para os animais
Gerem rendimento com os excedentes
Guardem as vossas sementes
Cozinhem com energia solar ou biogás
Partilhem com os vizinhos
E juntem-se à revolução alimentar global.”

Nancy Oppelle do grupo local das mulheres de Maili Saba, que tem estudado com o OTEPIC desde 2008, diz: “Já ninguém passa fome, nem no final da estação seca. As crianças são saudáveis, porque têm uma dieta diversificada. E o dinheiro que poupamos ao não usar fertilizantes químicos ajuda a comprar livros escolares.”

O nosso Trabalho com o OTEPIC

Temos trabalhado com o OTEPIC desde 2011 no âmbito do Campus Global. Philip Munyasia e outros membros da equipa de coordenadores do OTEPIC têm participado nos seus seminários. Diversos membros de Tamera e de outras estações do Campus Global têm visitado o OTEPIC por períodos de tempo mais extensos. Esta colaboração inspirou Philip a comprar um terreno mais amplo e construir um centro de conferências em Sabwani, o Jardim Upendo, onde quer criar, no futuro, uma eco-aldeia e Escola de Permacultura para a África Oriental. Com o apoio do Campus Global e de outros parceiros, diversas tecnologias regenerativas, tais como reflectores solares, digestores de biogás, técnicas de retenção de água, entre outras, poderiam ser instaladas em OTEPIC.

Seja solidário para com os trabalhadores de paz no mundo inteiro!
O seu contributo permite que estudantes de contextos mais desfavorecidos possam estudar em Tamera.

Ver

www.tamera.org