TERRA NOVA

Terra Nova é a visão de uma cultura planetária de comunidades autónomas e interligadas: uma civilização pós patriarcal liberta da violência e da guerra.

“Há um sonho latente nos seres humanos que quer ser redescoberto, mais belo e primordial do que qualquer outro que até agora ousámos sonhar. Um mundo sem guerra, onde todos aqueles que outrora se enfrentaram como inimigos se reconciliam – humanos e natureza, povos e religiões, homens e mulheres.”

MONIKA ALLEWELDT

Que caminho, como humanidade, escolhemos?

Estamos numa encruzilhada, onde podemos escolher um de dois caminhos. Um conduz-nos à catástrofe global – um beco sem saída – outro ao despertar do nosso amor e potencial humano.

Uma nova comunidade planetária

Imagina: com o colapso do capitalismo, um sistema global de comunidades auto-suficientes expande-se pelo meio rural e pelas cidades. Os Estados-nação dissolvem-se gradualmente, substituídos por esta nova comunidade planetária que se espalha por toda a terra, alinhada com os padrões universais da vida.

Como nos transformamos na Terra Nova

Enquanto a lagarta cria cuidadosamente a sua crisálida protectora para se tornar borboleta, nós temos o dever de criar o ambiente adequado para nutrir esta grande transição.

Após 40 anos de pesquisa, consideramos os seguintes elementos vitais:

Gestão da Terra

Cuidar da Terra ao invés de a dominar e explorar.

Regenerar a natureza e reverter as alterações climáticas usando métodos de retenção de água das chuvas e técnicas de permacultura.

Aliança sagrada entre todos os seres

Respeitar os direitos básicos de todos os seres vivos, honrar a sua dignidade e liberdade.

Estabelecer uma cultura de ecologia profunda, e cooperar activamente com todas as criaturas, sem crueldade, até mesmo com aquelas a que chamamos “pestes”.

Autonomia regenerativa

De acordo com os ciclos da natureza, explorar fontes regenerativas de energia.

Criar novas economias de oferta e reciprocidade, tecnologias limpas e descentralizadas onde água, energia e alimento, como direitos básicos, são abundantes e disponibilizados gratuitamente.

Cura em comunidade

Criar novas formas de convivência que promovam a compaixão e a aceitação, enfocando o “eu comunitário” em vez do indivíduo isolado.

Formar comunidades baseadas na transparência, empatia e coerência, dissolver o medo e conflitos por poder e atenção.

Amor e sexualidade

Abordar a sexualidade, a intimidade e a parceria como uma questão central de cura colectiva.

Criar espaços de profunda confiança, transparência e solidariedade que libertem o amor do medo e honrem a sexualidade como um poder sagrado da vida.

O poder criativo sagrado

Concretizando com alegria a nossa verdadeira natureza como criadores, redescobrindo o mistério do mundo.

Manter uma prática espiritual que coloca a sacralidade da vida no centro.

www.tamera.org