Um plano para a cura da humanidade e da Terra

O Plano dos Biótopos de Cura

O “Plano dos Biótopos de Cura“ é uma estratégia global para a paz que tem sido teorizada e praticada durante mais de 30 anos pelo Dr. Dieter Duhm, Sabine Lichtenfels, Charly Rainer Ehrenpreis e outros, com o objectivo de gerar um processo de cura global na Terra e um futuro sem guerra.

O plano é baseado numa visão clara. A “Teoria Política” de Dieter Duhm descreve esta visão sempre que possível em termos científicos. Esta teoria explica como e porque apenas alguns locais especiais no planeta, os chamados Biótopos de Cura, podem substituir o campo informativo existente do medo e da violência por um novo campo globalmente efectivo de confiança e cooperação.

Como podem estes centros locais ter um efeito global? A resposta está na natureza dos sistemas holísticos, cujas funções e parâmetros estão descritas na Teoria Política. “Crucial para o sucesso destes centros locais não é o seu tamanho e força (comparativamente com os actuais dispositivos de violência), mas sim o quão abrangentes e complexos são, a quantidade de elementos da vida que neles se combinam e unem de forma positiva. Os campos evolutivos desenvolvem-se não de acordo com ‘a sobrevivência do mais apto’ mas sim com ‘o sucesso do mais abrangente’. De outra forma, novos desenvolvimentos não poderiam prevalecer, porque todos eles se iniciaram ‘pequenos e inexpressivos’ (Teilhard de Chardin).” (do Futuro Sem Guerra, por Dieter Duhm)

O que é um Biótopo de Cura?

Um Biótopo de Cura é o modelo de uma sociedade do futuro. Tal como um protótipo é primeiro desenvolvido em laboratório, o plano dos Biótopos de Cura baseia-se inicialmente em construir um novo modelo de sociedade antes de o aplicar em grande escala.

Numa cultura de paz futura, os problemas da humanidade que conduzem actualmente à guerra por todo o mundo estão solucionados ou encontram-se em processo de resolução. Os Biótopos de Cura são, por isso, lugares onde estas soluções são preparadas. Os resultados obtidos devem ser generalizáveis e disponibilizados para todos os que os procurem. Os Biótopos de Cura organizam-se de forma a que as várias soluções se interconectem até a imagem da solução global se tornar visível.

For clarity, we divide the overall solution into different aspects:

  • A base material da vida
  • A base social da vida
  • A base mental-espiritual da vida

A humanidade precisa de novas respostas nestas três áreas para ser capaz de iniciar um futuro de não-violência.

A base material

O problema da base material da vida expressa-se na escassez generalizada de água, comida e energia, e na sua desigual distribuição. Desertificação, fome e o pico do petróleo são apenas alguns aspectos desta escassez, que resulta da forma fundamentalmente errada como o ser humano se relaciona com a terra, a água e a natureza. A correcção necessária consiste em desenvolver sistemas criados pelo homem compatíveis com os sistemas inesgotáveis e as fontes de energia da natureza e da Criação.

Especificamente, a solução reside na implementação de centros descentralizados, regionalmente auto-suficientes, ricos em água e sustentáveis, onde vários milhares de pessoas possam viver. Com a ajuda de Paisagens de Retenção de Água, permacultura e jardins de paz, e novas tecnologias energéticas operando de acordo com as leis da vida, em número suficiente, estes centros serão, dentro de algumas décadas, capazes de fornecer a toda a humanidade comida suficiente, energia e água potável. Simultaneamente eles regeneram todos os ecossistemas da natureza e seres vivos e a contradição entre crescimento económico e protecção da natureza será superada.

As novas tecnologias energéticas não se baseiam mais em quebrar resistências, mas seguirão uma “linha de tensão”. Elas conectam os novos centros com as fontes de energia eternas do sol e do universo. A luta por recursos terminará.

A base social

A base social da vida em todas as sociedades foi destruída. Os seres humanos perderam a capacidade de viverem juntos em paz. O medo, a alienação e a desconfiança levam a conflitos irresolúveis em todos os sistemas, desde os mais pequenos sistemas do casamento e família até à crise global das zonas de conflito e das guerras. A predisposição latente para a violência pode revelar-se a qualquer altura e ser usada para guerras e confrontos dos mais cruéis.

Os Biótopos de Cura demonstram como a cooperação e a confiança podem desenvolver-se de forma permanente e estrutural, criando novos ambientes de vida. A mudança não acontece (apenas) através de terapias individuais ou admoestações. É o ser social que determina a consciência. Um novo tipo de socialização é o nível de ordem superior no qual conflitos antes insolúveis podem ser resolvidos. Os seres humanos nessas novas comunidades apoiam-se e ajudam-se uns aos outros e aos seus semelhantes, não porque seguem um mandamento moral externo, mas porque reconheceram que tudo o que vive é parte da grande família da vida, à qual também eles pertencem.

Essencial à construção da confiança é a reconciliação entre os géneros. Não haverá paz na Terra enquanto houver guerra no amor. A sociedade patriarcal dominada por homens tem de ser transformada numa forma de vida em que mulheres e homens se reconectem com o seu conhecimento sensual, aplicando-o numa futura cultura de parceria entre homens e mulheres.

A base mental-espiritual

A luta contra a base mental-espiritual da vida prossegue hoje de uma forma tão subtil e englobante que é dificilmente percepcionada. Apenas notamos as suas consequência, tal como as guerras religiosas, estruturas de dominação e subordinação, degradação psicológica e raiva reprimida escalando até à autodestruição. A humanidade perdeu a sua autêntica âncora ética e religiosa.

Retornar deste Exílio requere uma nova mundivisão e o estudo de uma teoria de confiança primordial capaz de abrir de novo o coração humano. Seres humanos autónomos e de pensamento independente evoluirão deste processo de aprendizagem para indivíduos que já não se submetem a autoridades punitivas. Tais indivíduos desenvolveram um forte núcleo humano e são, por isso, incorruptíveis. Eles fazem da própria vida a sua autoridade sagrada, protegendo-a onde quer que estejam. Biótopos de Cura são centros de treino espiritual para este tipo de seres humanos, para Adam Kadmon, a natureza de Cristo ou a natureza mariana.

O estado de implementação

O plano dos Biótopos de cura está amadurecido e bastante desenvolvido teoricamente e também na prática. Em 1995, o primeiro Biótopo de cura foi estabelecido em Tamera, em Portugal. Hoje cerca de 170 colaboradores, estudantes, jovens e crianças vivem e trabalham lá. Nos primeiros anos o esforço concentrou-se em consolidar uma comunidade resiliente. Ao longo do tempo, desenvolveram-se vários projectos: ecologia (Paisagens de retenção de água), tecnologia (A Aldeia Solar), o Projecto dos Animais, a República das Crianças, o Espaço dos Jovens, a Casa de Hóspedes, o Programa Educativo, o Departamento de Arte, a Escola do Amor, o Ashram Político, e o Instituto de Trabalho Global pela Paz. O Campus Global foi estabelecido em colaboração com parceiros em Israel, Palestina, Colômbia, México, Brasil e Índia. Uma rede internacional conecta Tamera com projectos e indivíduos na Europa, América do Norte, Rússia, Austrália e, mais recentemente, também no Quénia e Bolívia. Estas são as bases para o surgimento de novos Biótopos de cura.

No seu núcleo, o projecto está firmemente estabelecido. Agora precisa de dar o próximo passo para uma dimensão global e, para isso, requer apoio internacional, doadores e especialistas em média.

Os próximos passos de manifestação

Primeiro: Criar um campo de informação global. A ideia dos Biótopos de cura, a perspectiva de vida que eles representam, as premissas e as soluções parciais que foram já encontradas e que podem ser generalizadas têm de se tornar mundialmente conhecidas. Então este conhecimento será indelével. O Instituto de Trabalho Global pela Paz trabalha nesta disseminação a partir da internet, média, edição e distribuição de livros. Convidamos-te a apoiar este trabalho através dos teus meios financeiros e jornalísticos. A Terra precisa de novas informações!

Segundo: Automaticamente a propagação da ideia terá como resultado a fundação de estações e as chamadas “universidades modelo” pelo mundo, contendo o saber ecológico e tecnológico, bem como o saber intelectual e social para o desenvolvimento de comunidades funcionais. A Escola Terra Nova e o Campus Global apoiam este processo de construção de redes planetárias através de educação mental, espiritual, humana e ecológica.

Terceiro: Tamera será o pólo educativo principal até que as “universidades modelo” possam assegurar esta missão. É necessário financiamento para completar o já emergente modelo de vida auto-suficiente, ampliar as instalações de educação para o fundo de bolsa de estudos e para a criação de locais para educação prática.

www.tamera.org